#Salvador – 16ª Parada do Orgulho LGBTI acontece nesse domingo (10)

 

A 16ª Parada acontece no dia 10 de setembro, domingo, à partir das 11h no centro de Salvador.

 

O  evento vai contar com os tradicionais desfiles de trios que terá início às 15:30 e segue até às 20:30h, percorrendo o circuito do carnaval, terminando no Largo dos Aflitos. A Parada contará também com um palco funcionando das 11:30 às 21:30h com o revezamento de artistas e bandas musicais.

O tema da Parada esse ano é “A comunidade LGBTI da Bahia pede paz”.  O evento mais do que nunca irá pedir por paz e lutar contra a violência que acomete LGBTIs a cada hora em nosso país. Nossa bandeira de colorida ganhará mais uma cor: a branca. O evento integra a programação da VI Semana da Diversidade LGBT, que acontece na cidade desde último domingo (3), através de eventos envolvendo seminários, palestras, música, dança, mostra de filmes, premiação, mostra de artes plásticas e desfile de trios elétricos.

O evento começa no Foyer do Teatro Castro Alves, também às 11h, com a realização da coletiva de imprensa da, onde será feito um balanço da VI Semana da Diversidade LGBT com a presença de autoridades, artistas, madrinhas da Parada. Na mesma ocasião será realizada a entrega do troféu do GGB: “Honra ao Mérito da Diversidade Cultural LGBT”, a Skol, UBER dentre outros.

Infelizmente, a Parada LGBT de Salvador ainda é muito questionada sobre a representatividade lésbica. Cadê nosso trio e nossas artistas, hein, Bets? É preciso que todas as letras de nosso arco-íris esteja unida e bem representada para que nossa luta seja mais forte. Não podemos dar brechas e deixar nenhum LGBT para trás. Com certeza, muitas sapinhas estarão curtindo o evento, assim como acompanhou a semana da diversidade e porque não muitas sapinhas como atrações artísticas? #Queremos

parada

Confira a ordem dos trios:

TRIO OFICIAL

Trio Oficial Porradão: Institucional Grupo Gay da Bahia / Grupo Quimbanda Dudu. Atração musical eletrônica, com bateria, DJ Oliver, Mary Jane Back e Spadina Banks.

Respectivamente, as madrinhas Tia Má e a Produtora Cultural, Flora Gil recebem faixa de madrinha, fazem discurso para a multidão. A madrinha Tia Má, após sua fala pede posição de respeito para execução do Hino Nacional. Na sequência, Flora Gil declara aberta a 16ª Parada do Orgulho LGBTI da Bahia.

Discursos oficiais da abertura. TRIO OFICIAL.

Dra. Anhamona de Britto, Secretária Municipal (Semur) Ivete Sacramento, Sua Excelência Deputado Ângelo Coronel Presidente da ALBA, Professor Dr.Luiz Mott fundador do GGB.

TRIO II – Arco-Íris Trans: inclusão social, trabalho, renda e moradia.

Coordenação ativista Millena Passos.

Produção Eliizabeth Dantas

Produção Marcelo Cerqueira

Locução de Ângela Guimaraes

Atração musical: DJ Juba Moreno e Drags

TRIO III – Freedom /Liberdade!

Produção de Marcos Mello

Atrações: DJ´s da Boate Tropical.

Artistas: Marcela Nascimento (SP), Andrea Gasparelli (RJ) e Luiz Gasparelli (RJ).

TRIO IV – UBER Festa Chá da Alice

Cantoras convidadas – Karol Conka, Valesca Popozuda e Lorena Simpson

TRIO V – Coletivo Diadorim

Bahia sem homofobia e com mais inclusão

Atrações DJs e Drags

TRIO VI – CUT Viver nossa cultura, música e entretenimento cultural da diversidade

Atrações DJs e Drags

TRIO VII Dion Santiago 

 

Palco da Diversidade

Bonecas pretas

Projeto montado por artistas negros agregando a linguagem da dança, teatro e performance com a finalidade de discutir questões raciais, gênero e sexualidade. Os termos “boneca” recebe um novo significado diferente do usado pejorativamente para ofender, o “pretas” introduz a perspectiva racial. Elenco: ALEHANDRA DELLAVEGA, BRENDAH BARBIERIE, DANDARA BYONCE, FERAH SUNSHINE, SUZY D’COSTA, SASHA HEELS E YANNA STEFENS.

Coletivo HAUS OF GLOOM

A Haus dedica-se à produção e à promoção da arte Drag. Composto pelas Drags Aimée Lumiére, Aleera Cox, Amanda Moreno, Mary Jane Beck, Petra Perón, Spadina Banks e Gotham Waldorf.

As Monxtras

Com um discurso de resistência e diversidade, o coletivo liderado pela transformista Malaika SN declara: “Nos declaramos desta forma pois temos uma estética não convencional de drag e temos um discurso político-social muito associado ao que fazemos. Nos recriamos para transformar esse local de fala que a sociedade nos colocou – de pobres, pretos e periféricas – em arte”, explica Malaika SN.

 Suzzi D´Costa

Festa da Rainha Negra. Apresenta-se acompanhada de três bailarinos. Música de empoderamento negro, figurinos de época.

Duelo Bate Cabelo

Nathalya Stryker, Ludmilla Stryker, Eyshilla Borboleta Fabiane Galvão

Scarleth Sangalo

Acompanhada de balé. Artista abandona o universo cover para expandir novos horizontes em sua carreira. Na sua apresentação consta repertório que trabalha a representação e valorização do empoderamento LGBTQ+, através de uma construção artística em total consonância com o ideal de luta contra a homofobia e a violência. Para isso ela procurou agregar ao seu novo trabalho mais elementos e símbolos associados a essas identidades culturais e de gênero.

Grupo Move Femme

A proposta é levar ao públicos vertentes de danças urbanas voltadas para o gay, como vogue, stiletto, gay style, wacking. Formado pelos dancarinos. Yuri Ferreira , Marcos Silva, Deko Alves, Ramsés Zaid, Lucas dancer e Lucas Vasconcelos

Shows

15h – Cida Martinez

17h – Gerônimo e Banda Montserrat

19h – Cortejo Afro

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.