Mil Borboletas – Parte IV

POV HOLLY

Acordei, olhei para os lados e Dianna não estava lá. Eu surtei… Me vesti correndo, não sei que horas ela acordou. E se isso tudo tiver sido um sonho? E se ela me enganou esse tempo todo e agora espalhou tudo por whatsaap?

Fui no guarda roupa dela, peguei uma calça jeans e uma blusa emprestada e vesti. Desci as escadas correndo e me deparei com ela na sala jogando vídeo game.

– Bom dia, flor do dia! – Ela me deu um belo sorriso, porém eu não retribui, só queria tirar satisfação com ela. – O que foi? Está tudo bem?

– Me diz você. – Eu disse nervosa.

– Bom, a noite de ontem foi incrível. Por mim está tudo ótimo, e para você?

– Não, não está tudo ótimo… Eu dei para você no primeiro encontro! Eu nunca fiz isso! Eu nunca fui tão fácil. – Comecei a andar de um lado pro outro em pânico.

Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

Mil Borboletas – Parte III

 

Dançamos por mais três ou quatro horas com os amigos, já são quase três da manhã. A convenci com muito custo a ir para minha casa, na promessa de fazer chocolate quente.

– Sua casa é linda. – Holly disse sorrindo.

– Valeu. Não gosto muito daqui… Vem, vamos até a cozinha, você verá uma mestra na arte do chocolate quente em ação, isso é para poucos. Saiba apreciar a chance.

– Estou me sentindo honrada. – Ela colocou a mão no coração, sendo uma ótima atriz.

– Se sinta mesmo. Vou começar, primeiro o avental para não sujar meu belo vestido. – Dei um giro arranco risadas de Holly. – Hoje sou uma princesa!

– Está parecendo mesmo com aquelas princesas da Disney. Mas, minha curiosidade é maior do que tudo, posso te perguntar uma coisa? – Fiz que sim em um gesto. – Porque você não gosta daqui?

– Porque morei a vida inteira com meus pais, quer dizer, faz três anos que eles morreram, mas enfim, você entendeu.

– Achei que por isso você teria um carinho a mais pela casa. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

É OFICIAL: The L Word está voltando

E eu estou em choque.

Sério! A gente sempre desejou a volta de THE L WORD. Fizemos diversas postagens sobre como elas devem estar, quem a gente mais quer ver. Especulamos tudo que podíamos, mas agora pode acontecer de verdade. E tá dando aquele medinho de dar merda. Afinal, TLW abriu as portas de uma geração de lésbicas, de uma geração de casais, uma geração de Shanes, uma geração de séries maravilhosas. Não quero perder essa memória deliciosa e aconchegante da “melhor série lésbica de todos os tempos”. Isso está diretamente ligado com uma época da minha vida muito especial de descobertas, de experiências, expectativas. Enfim, Ilene, cuidado com meu coração.

giphy-1

Segundo o site Entertainment Weekly, a Showtime está desenvolvendo outra temporada de The L Word. A co-criadoroa (amém) Ilene Chaiken será produtora executiva da série junto com uma nova escritora. Acredita-se que Jennifer Beals, Katherine Moenig e Leisha Hailey estarão na nova temporada. As outras personagens da série original também devem participar em algum momento com num novo elenco.

shane

A nova temporada de The L Word não nos pegou totalmente de surpresa, né? Desde que elas se reuniram para fazer aquelas fotos que a gente tá em polvorosa, mas parecia um desejo platônico. “Falamos sobre isso o tempo todo”, disse Chaiken à EW sobre a série retornar. “Quando saímos do ar em 2009, penso que muitas pessoas pensaram, “ok, o bastão passou agora e haverá muitas séries que retratam exclusivamente a vida lésbica”. Realmente não há muita coisa. Parece que talvez devêssemos voltar”.

tlw-s

E agora? Como a gente segue até ter a data de lançamento?

Amém, The L Word <3

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

Mil Borboletas – Parte II

POV HOLLY

Olhei ao redor e não vi Dianna, a turma toda queria agradecê-la. Será que ela já tinha ido embora? Sai da coxia e a vi se despedindo dos meus pais e saindo.

– Filha, parabéns! – Meus pais abriram os braços para mim. – Desviei deles.

– Calma aí papais, eu preciso resolver uma coisa. – Saí correndo atrás de Dianna que já estava entrando em seu carro. – Espera, Dianna! Espera.

– Oi… Aconteceu algo? – Ela saiu do carro preocupada.

– Onde vai?  – Perguntei ainda ofegante.

– Vou para casa, está tudo bem?

– Não, você não se despediu de ninguém!

– Não quis atrapalhar vocês e preferi sair de fininho. – Ela falou em um tom tímido.

– Vai fazer algo agora?

– Não, eu vou para casa. Porque? – Ela perguntou curiosa. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3