Categoria: Contos Lés

Mil Borboletas – Parte IV

POV HOLLY

Acordei, olhei para os lados e Dianna não estava lá. Eu surtei… Me vesti correndo, não sei que horas ela acordou. E se isso tudo tiver sido um sonho? E se ela me enganou esse tempo todo e agora espalhou tudo por whatsaap?

Fui no guarda roupa dela, peguei uma calça jeans e uma blusa emprestada e vesti. Desci as escadas correndo e me deparei com ela na sala jogando vídeo game.

– Bom dia, flor do dia! – Ela me deu um belo sorriso, porém eu não retribui, só queria tirar satisfação com ela. – O que foi? Está tudo bem?

– Me diz você. – Eu disse nervosa.

– Bom, a noite de ontem foi incrível. Por mim está tudo ótimo, e para você?

– Não, não está tudo ótimo… Eu dei para você no primeiro encontro! Eu nunca fiz isso! Eu nunca fui tão fácil. – Comecei a andar de um lado pro outro em pânico.

Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

Mil Borboletas – Parte III

 

Dançamos por mais três ou quatro horas com os amigos, já são quase três da manhã. A convenci com muito custo a ir para minha casa, na promessa de fazer chocolate quente.

– Sua casa é linda. – Holly disse sorrindo.

– Valeu. Não gosto muito daqui… Vem, vamos até a cozinha, você verá uma mestra na arte do chocolate quente em ação, isso é para poucos. Saiba apreciar a chance.

– Estou me sentindo honrada. – Ela colocou a mão no coração, sendo uma ótima atriz.

– Se sinta mesmo. Vou começar, primeiro o avental para não sujar meu belo vestido. – Dei um giro arranco risadas de Holly. – Hoje sou uma princesa!

– Está parecendo mesmo com aquelas princesas da Disney. Mas, minha curiosidade é maior do que tudo, posso te perguntar uma coisa? – Fiz que sim em um gesto. – Porque você não gosta daqui?

– Porque morei a vida inteira com meus pais, quer dizer, faz três anos que eles morreram, mas enfim, você entendeu.

– Achei que por isso você teria um carinho a mais pela casa. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

Mil Borboletas – Parte II

POV HOLLY

Olhei ao redor e não vi Dianna, a turma toda queria agradecê-la. Será que ela já tinha ido embora? Sai da coxia e a vi se despedindo dos meus pais e saindo.

– Filha, parabéns! – Meus pais abriram os braços para mim. – Desviei deles.

– Calma aí papais, eu preciso resolver uma coisa. – Saí correndo atrás de Dianna que já estava entrando em seu carro. – Espera, Dianna! Espera.

– Oi… Aconteceu algo? – Ela saiu do carro preocupada.

– Onde vai?  – Perguntei ainda ofegante.

– Vou para casa, está tudo bem?

– Não, você não se despediu de ninguém!

– Não quis atrapalhar vocês e preferi sair de fininho. – Ela falou em um tom tímido.

– Vai fazer algo agora?

– Não, eu vou para casa. Porque? – Ela perguntou curiosa. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

Mil Borboletas – Parte I

POV HOLLY

conto-mil-borboletas

O despertador toca às seis da manhã e eu já quero morrer. Meu Deus quando isso vai acabar? Ok, eu sei quando isso vai acabar, falta um ano para finalmente a palavra colegial sair da minha vida. E com elas, alguns ogros e ogras que, meu Deus, me surpreende eles terem chegado ao terceiro. São completamente burros e boçais.

Tomei meu banho, tive a típica conversa matinal com meus pais e fui para o colégio. As coisas são muito intensas na minha família, principalmente comigo. Sou filha única de dois pais completamente babões. Quando eu digo dois pais eu não falo de pai e mãe iguais à palavra pais. Eu falo de pais mesmo, dois homens. Sou filha de um casal gay.

Sou filha biológica de um, mas nem eu e nem eles sabemos. Alguns dizem que eu pareço mais com o pai Frank, outros com o pai Marcel. Independentemente de qualquer coisa, são meus pais e os amo muito.

Tive uma criação ótima, desde pequena já sabia a maioria de musicais da Brodway e sempre que podia eles me levavam em alguma peça de teatro, cresci rodeada de cultura e divas do pop como Madonna e Cher. Isso foi um pouco estranho, afinal, quando minhas amigas ainda escutavam a pequena sereia, eu já sabia de cor todas as músicas do CD BedTimes Stories da Madonna e Love Hurts da Cher. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3