Categoria: Contos Lés

#ContoRápido – Paralisada – Parte II

“Parecia que era o sexo que unia aquelas meninas. Existia uma atração, dessas que nenhuma força da física seria capaz de explicar.

7 meses depois daquele beijo, algumas coisas aumentaram: O amor, as brigas e o sexo bem feito. Essas duas últimas tinham uma ligação quase harmoniosa, sabiam como resolver um problema. E como sabiam. Existia uma saudade pesando nelas pela separação das férias e um temor pelos últimos episódios desconfortáveis das discussões que havia dado lugar a longas e apaixonadas conversas de vídeos. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

A FLOR – PARTE XIII

POV ROSA

– Minha nossa senhora… Filha você está linda! – Meu pai me olhava com cara de pai babão. –  Não sei se mereço dançar com uma menina tão linda como você.

– Pai… Não chore! – Abracei-o emocionada.

– Vou tentar me controlar. – Meu pai disse rindo.

– Eu estou muito orgulhosa de você, minha filha.

– Honestamente eu não sei, mamãe, se eu mereço que você diga isso.

– Oxe, filha. Olhe para mim. – Minha mãe segurou no meu rosto. – Nunca deixe ninguém dizer que você não nos orgulha. Você foi guerreira, ninguém no mundo pode te julgar. Você nunca, nunca fez mal a ninguém. E nunca deixamos de te amar e de nos orgulhar de você.

– Mamãe… – Caí no choro como uma criança. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

A FLOR – PARTE XII

POV ISA

Acordei na casa de uma estranha. Bom, pelo menos espero que essa seja a casa dela, porque a minha casa aqui é que não é. Minhas roupas jogadas no chão, cabeça doendo, meu estomago uma bosta… Eu bebi tanto mas, tanto ontem que sendo bem sincera nem sei se dei conta de transar com essa mulher.

Preferi não acordá-la, vai saber se ela estava tão bêbada quanto eu, talvez ela me contou sua vida inteira e como explicar que hoje, nem sei o nome dela.

Resolvi escrever um bilhete e sair.

“Oi, obrigada pela noite incrível, quem sabe a gente se esbarra por aí. Beijo”

Procurei meu carro e não achei. Ótimo, não estava louca tão louca a ponto de dirigir, peguei um taxi, fui até a boate e lá estava meu carro. Fui para casa correndo tomar um banho, e corri para o trabalho. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

#ContoRápido – Mais que amigas

Em um relacionamento homossexual na maioria das vezes é difícil se expor, se assumir para a família, para os amigos e a sociedade em geral, por isso, muitas vezes, os casais acabam se escondendo, e justificam a proximidade, os carinhos e a atenção como uma mera amizade. O que na realidade é um amor bonito e inocente que ali cresce e se desenvolve, até o momento que as flores desabrocham e não é mais possível se manter no anonimato.

A vontade de amar e demonstrar esse amor é maior que o mundo. Queremos gritar aos quatro ventos que ela é o meu amor, que eu não consigo mais viver sem seus beijos e seus abraços, que eu quero beija-la na rua, na chuva, no bar, que eu quero andar de mãos dadas, dividir o sorvete e adotar um gato para que a gente possa amar e cuidar, para sempre, como qualquer relacionamento clichê. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3