Categoria: Filmes Lés

A maior lista de filme lésbico que você respeita (em construção)

Numa noite de sábado despretensiosa, eu pedi a vocês pela fanpage dicas de filmes lésbicos para assistir. E prontamente choveu filmes e mais filmes na minha timeline <3 <3 Obviamente eu não assisti todos ainda, mas vou deixá-los listados aqui para quem tiver procurando por filmes com temática lésbica por aí.

A lista estará sempre em construção, então quem tiver mais dica vai me enviando que eu atualizo. B

<3 <3 <3 <3

filmes-lebicos

  1. Quando a Noite Cai
  2. Eloise
  3. Imagina eu e você
  4. Um quarto em Roma
  5. Amor por direito (Freeheld)
  6. Rome and Juliet
  7. Ligadas pelo desejo
  8. Amigas de colégio
  9. Yes or No (1 e 2)
  10. Casamento de Verdade (Jenny’s Wedding)
  11. Azul é cor mais quente (L a vie d’adele)
  12. Assunto de meninas
  13. Anatomia de uma cena de amor
  14. Como esquecer? (filme nacional)
  15. Melhor que chocolate
  16. Loving Annabelle
  17. Um amor para durar (A love to keep)
  18. Aimee y jaguar
  19. A guarda costas (Die Leibwächterin)
  20. High art (Retratos Sublimes)
  21. Running on Empty Dreams
  22. A rival (Die Konkurrentin)
  23. Viola di mare
  24. Concussion
  25. A bela estação
  26. 1448 Love among us
  27. Raven’s touch
  28. Os diários secretos da senhorita Anne Lister
  29. If These Walls Could Talk 2
  30. FingerSmith (Falsas aparências)
  31. Gia
  32. A cor púrpura
  33. The handmaiden (A criada)
  34. Um belo verão
  35. Bloomington
  36. Cracks
  37. Lírios D’água
  38. O menino peixe
  39. A perfect ending
  40. A verdade sobre jane
  41. All About E
  42. Kyss Mig
  43. The Incredibly True Adventures of Two Girls in Love
  44. D.e.b.s
  45. O perfume da memória (filme nacional)
  46. Tomates Verdes Fritos
  47. Toque de Veludo
  48. Elena Undone
  49. Carol
  50. Circumstance
  51. Tension Sexual Vol 2 – Violetas
  52. I cant think straight
  53. Flores Raras (filme nacional)
  54. As delicias celestiais de Nina (Nina’s heavenly delights)
  55. Below Her Mounth
  56. Jovem Aloucada
  57. A marine story
  58. My Normal
  59. Love on the Side
  60. Pariah

Será lançado em 7 de fevereiro

  1. Almost Adults
  2. A Jovem Rainha
Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

YouMeHer (Eu, tu e ela) – Série POLIAMOR que você precisa assistir na #Netflix

youmeher-netflix

Uma das novas produções da Netflix é a série comédia romântica YouMeHer, que conta a história de um casal hétero classe média dos Estados Unidos que em meio ao tédio do relacionamento, acaba se envolvendo com uma terceira pessoa. Não contarei mais spoilers por motivos de, né??? Mas indico pra geral.

A principio tive receios, rodei a Netflix toda até finalmente clicar no play da serie. E só sosseguei quando finalizei os episódios disponíveis. É uma série que leva a sério um triangulo amoroso. Apesar de ser um triangulo formado por duas mulheres e um homem, o que  relacionamos ao fetichismo masculino, as cenas são tratadas de forma delicada e o foco é no sentimento, em como a relação é tratada e não o sexo em si – pelo menos até agora. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

#filmeLes – JOVEM RAINHA

O longa “A Jovem Rainha” é a cinebiografia da rainha Cristina, da Suécia. O filme será lançado ainda em fevereiro e é uma bela recriação do século 17. O enredo conta com intrigas políticas, guerra e romance lésbico 😉 para contar a história da polêmica rainha que era a mulher mais letrada de sua época, grande benfeitora das artes e que preferiu abdicar do trono a se casar com um homem.

filmes_11875_posterajovemrainha

A trama é uma adaptação do canadense Michel Marc Bouchard (“Tom na Fazenda”) de sua própria peça, com direção do finlandês Mika Kaurismäki (“O Ciúme Mora ao Lado” e irmão de Aki Kaurismäki) e destaca a bela sueca Malin Buska (“Dinheiro Fácil – Vida de Luxo”) como o “rei menina”, como define o título internacional, apaixonada pela canadense Sarah Gadon (“Drácula, a História Nunca Contada”).

A produção dividiu a crítica, mas foi premiada nos festivais de Montreal e Valladolid. A estreia está marcada para 23 de fevereiro aqui no Brasil e já está em nossa listinha de entretenimento 😀

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

Por que desejo a continuação de The L Word? 5 motivos

Alerta de spoiler!

Empoderamento, romance, drama, comédia, crushs, família e elenco incrível define essa amada série escrita e produzida por Ilene Chaiken – hoje criadora da série Empire – que foi ao ar em janeiro de 2004 e teve o encerramento em março de 2009 nos canais Showtime (EUA), Showcase (Canadá) e Warner nos demais países da América.

Claro que uma continuação será baseada na realidade, pois um presidente republicano ameaça os direitos das pessoas LGBTs no país. É racista, misógino, odeia latinos e muçulmano, com certeza críticas provocariam reflexões sobre o que esperamos em outros assuntos.

Agora listamos alguns motivos para o retorno de The L Word se tornar um sonho:

1-  Quem matou Jennifer Shecter?

jenny

A escritora se transformou ao longo da trama, não dá para acreditar que a ingênua Jenny recém chegada à realidade de L.A tornou-se a vilã de seus amigos. Mas as investigações um dia terminam e teremos o nome da autora ou autor do assassinato.

2- O casal mais shippado da série: Bette Porter e Tina Kennard.

bette-e-tina2

Elas se mudariam para NY, e seus amigos fizeram uma homenagem, mas a morte da Jenny na casa do casal pode ou não adiar esse plano. Ano passado a Suprema Corte Americana legalizou em todos os Estados a celebração do casamento civil igualitário, então seria interessante as renovações de votos no altar e a dama de honra a filha delas, Angélica, já com 18 anos.

3- Sucesso da Alice Pieszecki na internet

o-quadro-piescjsjh

Ela ganhou destaque na internet ao desenvolver uma versão do ”Quadro Pieszecki”, aonde qualquer usuário cria a sua constelação de relacionamentos, tornou-se a rede social LGBT OurChart (nosso quadro) e chamou atenção de seu amigo e desenvolvedor do site Max Sweeney pela oportunidade na venda de espaço publicitário.

4- A revanche no basquete!

shane

Um desafio aceito proposto pela Papi a Shane tornou-se uma partida de basquete história na região LGBT de Los Angeles, e com certeza milhões de torcedoras aguardam essa revanche.

5- Helena e Kit.

helena

O companheirismo dessas amigas tornou-se uma sociedade, elas são donas do The Planet e Hit Club que dominam as noites baphônicas de West Hollywood. E a gente precisa saber dos babados que rolam por lá.

 

E você? Por que deseja o retorno de TLW? Comente. 🙂

 

assinatura-tamara

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3