Categoria: Livros Lés

#LivroLés Relógio das Flores, de Drey Damaso e Sara Lecter

PÉTALAS, LEMBRANÇAS E POESIA

Por Marina Porteclis

 

Quem nunca pegou, com mas mãos trêmulas e o coração quente de saudade, uma antiga foto de infância onde amigos − alguns ainda presentes, a maioria “desaparecidos” − nos rodeiam em algum lugar perdido no passado? Quem, diante dessa mesma imagem esmaecida pelos anos, nunca se perguntou que fim aquelas pessoas e, sobretudo, sorrisos levaram?

Aquele que não ergueu a mão, apresentando-se como enquadrado, tem duas alternativas: ou cruzar os dedos desculpando-se pela inverdade ou abraçar-se a’O Relógio das Flores, que nos traz essa perspectiva já no início.

Sim, com maestria, Drey Damaso e Sara Lecter, através desse romance, convidam-nos a sentar na sala de estar que guardamos em nosso íntimo, à meia luz, recostadas em confortáveis almofadas − estas formadas por palavras − e descobrir exatamente o que a vida, em geral, não permite: o que o destino fez de quatro amigas inseparáveis.

A trama, muito bem engendrada, começa justamente quando Lana, Renata e Paloma retornam à cidade natal para o casamento de Clarissa, esta que, ao longo da vida, diferente das demais, tal qual âncora − como bem colocam as autoras −, preferiu não sair do lugar em todos os sentidos, inclusive o geográfico.

o relogio das flores

E é assim que nós, leitores, inicialmente do lado de cá das páginas, Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

O armário – Livro sobre a homossexualidade

Em 2016, o livro sobre a homossexualidade, que aborda os processos psíquicos sobre a “entrada e a saída do armário“, do jornalista, escritor e bacharel em psicologia Fabrício Viana, completa 10 anos de existência.

Publicado de forma independente em 2006, Viana enfatiza que escreveu o livro com uma linguagem simples, abordando os principais tópicos do tema como a história da homossexualidade, origem do preconceito científico e religioso, dinâmica psicológica do machismo e até mesmo a homofobia internalizada, presente em diversos homossexuais e que deve ser eliminado.

“Existem muitos livros bons no Brasil sobre a homossexualidade. Eu senti falta de um livro simples, didático, orientado não só aos homossexuais que estão dentro do armário mas também para professores, pais, psicólogos e outros profissionais que gostariam de entender mais sobre o tema. Felizmente consegui. O livro é um sucesso e hoje tornou-se um dos mais conhecidos e respeitados sobre o tema”, enfatiza Viana.

unnamed (2)
Já na sua quarta edição, e com mais de 4 mil exemplares vendidos ao longo destes anos, o livro faz parte do catálogo da Editora Orgástica, uma micro editora brasileira focada em diversidade sexual e “literatura LGBT”.
Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

#LivroLésbico Entre Elas – de Paloma Lacerda

Uma leitura despretensiosa num fim de tarde de  quarta-feira na rede na minha varanda. A princípio para passar o tempo, descansar um pouco e apreciar o presente recebido. Porém, alguns minutos depois, eu estava me levantando a todo custo da rede para realizar outros compromissos, deixando apenas 20 páginas para serem lidas no dia seguinte.

Entre Elas me amarrou! Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3

#LivroLes | A dor me enfeita a face

livro lesbico

Mais uma indicação de livro para gente devorar, betinas. 😀 “A dor me enfeita a face”, de Mayti Ulian, conta a história de Rachel, uma mulher extremamente infeliz em seu casamento com um empresário milionário, dominador, que se satisfaz ao subjugar, humilhar e agredir a esposa. Ao buscar ajuda profissional, Rachel conhece a terapeuta holística Marjorie que, comovida com a situação, incentiva a paciente a reagir diante das dificuldades. A amizade crescente entre as duas transforma-se em desejo e amor, experiência inusitada para ambas. Porém, para que este amor possa ser vivido de forma plena, será preciso que Rachel supere as barreiras do medo que se encontra aprisionada. Eis que surge, no limite do sofrimento, uma atitude imprevisível capaz de mudar tudo. Continue lendo

Celine Ramos
Baiana, feminista, negra e publicitária. Fundadora do SouBetina. Vivo na ponte-aérea Salvador-São Paulo. <3