Contar aos pais #DivãdaBetina

Tarefa difícil é a de tomarmos certas decisões em nossas vidas, principalmente quando se trata de pessoas que amamos e não queremos machucar quando envolve estas. Imagine você se colocando em uma situação na qual ou é sua paz interior ou a dos demais. Nada mudará o fato de que seus pais sempre serão seus pais e é de tamanha importância, se decidir contá-los, de que forma fará, quando e porque. Além disso, ter a ciência de que à partir deste momento tudo muda, independente da recepção positiva ou negativa.
E quanto a aceitação? É mesmo fácil para todos como recentemente o pai do Luc, antes Luíza, Marcelo Tas?

2

Vamos falar um pouco sobre nossos “velhos”.
Existe 4 gerações denominadas atualmente. Baby Boomers, X, Y e Z. Nossos pais, a geração Baby Boomer, surgiu logo após o fim da Segunda Guerra Mundial. Hoje, eles estão com mais de 45 anos e se caracterizam por gostarem de um emprego fixo e estável.
Nos dias de hoje os pertencentes à geração Baby Boomer, em sua maioria, ocupam os cargos de diretoria e gerência nas empresas. Por exercerem funções de chefia, e muitas vezes em nível estratégico, chocam-se diretamente contra as gerações mais jovens no que diz respeito aos seus ideais, o que ocasiona um contraste de comportamento e valores. Agora pense você se eles não terão comportamentos parecidos em casa com nós, filhos!
Pois bem, a grande  maioria  dos leitores do Seu Betina, posso imaginar serem das gerações Y e Z. Gerações as quais já viram inúmeros avanços na tecnologia e diversas quebras de paradigmas. De tanto passarem horas e horas na internet, a geração Z, nascidos em meados dos anos 90, são considerados anti sociais. Imagine na hora de explicar algo aos pais relacionado à um celular novo que eles compraram ou até mesmo deixar de lado o celular enquanto jantando com a família. “Que saco, meus amigos estão no whatsap e eu não!”

Bem, tendo em mente um resumo de quem são nossos pais, os Baby Boomers, importante mesmo é a sua segurança quando e se decidir contá-los. Acredite, não é uma tarefa fácil e realmente vale a pena criar uma ocasião para que isso aconteça? Será mesmo que todos querem saber ou preferem que fique como está? E se um dia você se apaixonar por uma cueca e não quiser mais calcinhas? A bissexualidade de fato existe e não somos eternamente uma mesma pessoa. Isso é uma tarefa individual para analisar seus pais pois cada um tem um passado, uma história e não podemos agir com todos da mesma forma. Não existe uma fórmula! Que pena porque seria mais fácil.
Já outros pais virão com a maior naturalidade possível, que sonho, e nada vai abalar seus dias, independente com quem você dorme. Que tudo, heim!

Muitas betinas tem ou estão  à caminho de uma vida profissional muito bem definida porque desde cedo sentem na pele que precisam caminhar com seus próprios braços se optam viver  suas escolhas. Muitas vêzes tudo isso é duro, porém em algumas circunstâncias necessário. É mais forte do que qualquer outra coisa suas escolhas, com quem deseja dividir um lar e sua vida. São decisões sérias.
Nunca vamos agradar à todos e por mais que seja uma tarefa difícil, só você sabe onde o calo do sapato aperta. Em primeiro lugar, precisamos nos conhecer e saber como nossos corações batem. Você se amando já é um grande passo e partindo daí saberá como lidar com o seu entorno, sempre com muito carinho e respeito, afinal de contas, são os nossos pais e honrá-los é nada mais que nosso dever.

Abraço carinhoso,

Ana Caroline de Melo
Psicanalista Especialista
a

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.