#ContoRápido – Moça

Por foto, mensagens, telegramas, não se pode conhecer alguém verdadeiramente. Porém, me senti de certo modo conectada a você. De longe te vi muito bela e altiva, mostrando o quanto está totalmente no comando, mostrando o quanto era dona de si.

Batom vermelho, a unhas impecáveis, muito elegante no seu uniforme, andava muito firme com seu salto alto e quem olhava de fora via apenas o que você permitia mostrar: uma mulher que faz seu destino, molda sua vida como bem entende sem se preocupar com a opinião de quem não lhe convém.

Porém, atrás daqueles olhos de turmalina se escondiam algumas lembranças densas as quais, com toda força de um botão em flor, venceu e cresceu ainda mais. Por muitos dias quis um abraço, quis chorar no colo do amor, quis sentir raiva mais logo ficava sem ar com tanto sentimento que lhe transbordava o coração. Quis ainda sumir e ir pra qualquer parte do país. Muitas vezes levantava da cama já com imensa vontade de nunca ter saído dela. Checava tudo antes de se mostrar ao mundo, maquiagem, batom, salto, unhas, sorriso e vamos!

Fotos com os amigos nas festas, sempre muito sorridente muito bela. Frases e textos sobre o desapego. Ela já está melhor, acreditavam eles. Muita gente tentando ganhar o coração daquela mulher, mas ninguém querendo ajudá – la a cuidar de suas feridas. É só aquele papo frouxo de amor de novela, aquela mentira contada pra duas bocas encaixadas no fim da noite. Ninguém queria de fato te carregar no colo até você melhorar. Ninguém queria olhar nos seus olhos e respeitar seu tempo. Eles queriam bebida farta, tontura e alguns lençóis amarrotados na madruga. E depois?

Depois é tchau, meu bem. É desapego.

Nunca foi religiosa mas durante muitas noites clamou por alguma energia, símbolo ou santo que lhe ajudasse a curar a dor. Foi iludida, enganada, acreditou que seria pra sempre e não foi. Quando acreditou que não iria durar foi o que mais perdurou, acreditou em filmes românticos, em achar a metade, acreditou em transbordar, mas hoje optou em crer nela mesma. Esperou por alguém, fez planos pra quando chegasse e nada, ninguém bateu na sua porta, ninguém te deu frio na barriga. Foram mesmo é náuseas com tantas histórias e mentiras.

Reiniciou, refez todos seus planos, cresceu na marra e guardou suas bonecas no baú. Hoje é isso tudo que você vê. Já sabe de todas as historinhas que contam, ja percebe no olhar quando só querem seu corpo e se permite isso quando tiver com vontade também. Hoje se permite querer, não se culpa nem julga nada que vai escolher. Todos cometemos erros, agora sabe muito bem. Se permite mesmo é aprender com cada topada que a vida lhe dá. Pobre de mim, mera mortal querendo chegar até seu coração, mas escrevo a você moça. Tenho o peito aberto, um flor do campo colhida com orvalho, um sorriso fácil, algumas declarações escritas num velho papel amassado e uma vida inteira pra andar ao seu lado.

assinatura indianara.fw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.