Esse amor vai perdurar até o meu último batimento cardíaco

Ela era assim, o amor da minha vida. Despertava em mim todos sentimentos mais profundos. Eu não tinha medo, insegurança ou tristeza quando estava com ela. Não tinha medo de ser eu, de ser julgada, porque eu sabia que ela amava minhas chatices e esse meu gênio complicado. Não éramos nada parecidas, ela era calma como o céu em vanilla e eu pior que um temporal.

Éramos felizes! Sim! Com toda a certeza desse mundo. Nossas idas ao mercado, e os capuccinos de um real, o café na cama que revezávamos em um dia uma e no outro a outra de trazer até lá, as nossas brincadeiras e dos “abraços de cima”, a mania de falarmos sempre com um “s” no final, sempre nos tratavamos como plural como duas pessoas que tinham os mesmos planos, e como esquecer as noites de frio que dormíamos de “bundinha”?

Ela me amava demais, mas era amor que cabia em mim. Eu que sempre procurei alguém que me completasse encontrei ela que me transbordava do jeito mais profundo e agradável possível. E eu a amava muito. Muito. Muito. Muito que não servia em mim.

Eu nunca esqueci da expressão no rosto dela quando me despedi na rodoviária. Nunca vou me esquecer daqueles olhos e da vontade que eu estava de gritar no meio de todo mundo lá dentro igual uma doida –paaaareeem esse ônibuuuuus- Mas eu não disse nada, eu me calei. E vi minha felicidade se esvair e se dissolver como quando a gente coloca a aspirina no copo d’água.

Então a festa acabou, a luz apagou. Ninguém conseguia me explicar o que havia acontecido. E eu em um ato de pura estupides a avastei de mim, deixei ela totalmente sem o chão, foram ligações e áudios longos e em soluços.

E hoje estamos aqui a exatos 2.147,7 km de distância. Ela lá continua linda, feliz e com os mesmos olhos que sorriram pra mim uma vez, só que agora estão sorrindo pra outra pessoa. Acho que ela resolveu viver, seguir em frente recomeçar do zero novamente.

Existem amores que não se esquece e não supera. É só seguir em frente, talvez seja esse o meu final feliz. Mas cada passo que eu dou, volto dois querendo te encontrar. A única certeza que eu tenho, é que esse amor vai perdurar até o meu último batimento cardíaco.

assinatura giordana.fw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.