A flor – Parte I

POV ISA

Tenho 28 anos, me chamo Isabelle, mas pode me chamar de Isa. Será bom fazer amizade, não sou muito boa em fazer amigos. Sou gaúcha, nasci em Gramado no Rio Grande do Sul, a população é de 31.655 habitantes, isso segundo o IBGE, em 2012. Essa informação provavelmente está desatualizada. Tenho uma pele bem clarinha, cabelos no ombro na cor castanho. Os mais frescos diriam que é loiro escuro. Tenho 1,72 de altura e olhos azuis.

Faz três anos que deixei meu pai e minha madrasta, que me criou desde os meus seis anos e é um anjo na minha vida. Minha família tem uma excelente condição financeira, fazemos vinhos (e dos bons). Mas me mudei. Deixei parentes, amigos e minha noiva, que agora virou ex noiva.

Não me entenda mal, não significa que eu fui egoísta, mas nós somos completamente diferentes. Ela sonha em ficar lá, já eu, sonho em conhecer o mundo, morar na Austrália ou Irlanda. Ela é sempre apegada a futilidades, o oposto de mim! Nós fomos a primeira uma da outra, mas foi algo bom, deu certo por quase cinco anos. As pessoas mudam e chega uma hora que você precisa optar e decidir o rumo da sua vida, e foi isso que eu fiz.

Faz três anos que deixei tudo para trás, me mudei para Fortaleza, no Ceará. Mudança drástica não é mesmo?

Trabalho em uma grande empresa privada, sou oceanógrafa. Já ouviu falar dessa profissão? Tudo bem se não. As pessoas acham que eu vivo no mar, todos os dias em alto mar, e não é bem isso. Na maior parte do tempo eu fico em um laboratório gelado em meio a fórmulas e contas. Amo o que faço, mas sei reconhecer que muita gente acharia isso chato.

Moro em um apartamento, tenho um carro e uma vida normal.
Minha casa parece mais uma casa de adolescente, tem gibis, vídeo game, box de séries, e pôster por todos os lados. Ah! Antes que eu me esqueça, Fortaleza tem aproximadamente 862.750 habitantes. Isso apurado pelo IBGE em 2010. Fico puta com essas organizações que não conseguem manter nada atualizado. Mas, incompetência já é a marca registrada do nosso país, infelizmente.

E não me julgue por ser nerd ao extremo, sei que essas informações são inúteis, mas eu sou assim. Eu preciso dessas informações, do mesmo jeito que você precisa do seu passatempo para relaxar, esse é meu passatempo. Eu sou muito nerd.

Moro sozinha, queria ter um gato, mas tenho medo de ficar um tempo fora e não cuidar do bichinho como se deve. As vezes precisam de mim em alguma plataforma em alto mar, passo dias e semanas sem sair de lá. Não posso assumir o compromisso de cuidar de uma vida agora. Gosto bastante do meu trabalho, sou muito bem remunerada e é dinâmico. Não vivo o tempo inteiro no oceano como os leigos acham, infelizmente eu não sou a Ariel.

Não tenho amigos aqui, porque simplesmente não saio muito. Gosto do meu lar, meus livros, séries, meus CDs e meu violão. Amigo mesmo, só o Eduardo, meu colega de trabalho. Ele é muito engraçado e muito gentil. Sua esposa é um amor e seus filhos então, três meninos gêmeos de três anos que desde que nasceram deixam meu amigo louco.

Sou lésbica assumida. Tirando a minha noiva, não tive nenhum compromisso sério, e poucos encontros. Eu gosto de programas tranquilos e é tão difícil achar alguém em sintonia. Não adianta só ser bonita e não ter conteúdo, isso vai soar um pouco estranho, mas eu mereço o melhor! Todo mundo merece o que há de melhor, porque eu vou perder meu tempo me contentando com pouco?

Eu amo internet, e toda a facilidade e acessibilidade que ela proporciona. Assino vários canais, sites e mais sites. Blogs então, são os meus prediletos. Entre eles achei Anita. Não a cantora, e sim uma garota de programa, os valores dela são bem altos, e digamos que ela é uma acompanhante de luxo. Ela é maravilhosa, cabelos longos, pele morena, um corpo escultural. E pelo o que vi nas fotos, completamente natural.

E ela tem um blog. Isso não é nada novo, a Raquel Pacheco (Bruna Surfistinha) foi a primeira a fazer isso. Porém Anita sabe entreter como ninguém, o blog é atualizado cada vez que ela atende um cliente. Ela não facilita, eu vasculhei todo o blog e nunca vi uma nota maior do que seis e meio. Bom, ela sempre escreve um resumo de como foi a noite e no final coloca a nota que o cliente ganha no quesito sexo.

Já faz mais de dois meses que leio seu blog e sou avisada por e-mail de suas atualizações. Eu nunca paguei por sexo, mas ultimamente fiquei com essa pulga atrás da orelha de como funciona. E até venho tendo sonhos quentes com Anita. Sei lá… É estranho.

Mas eu não curto ficar com o benefício da dúvida ou com a curiosidade. Então entrei em contato através do site, para contratar seus serviços. Não demorou nem dois dias para chagar um e-mail com a sua resposta.

“ Olá Isabelle, tudo bem? Recebi seu e-mail e tenho horário sim para quinta a noite. Você colocou por tempo indeterminado no formulário. Será muito bom passar um tempo com você, pela foto do seu e-mail te achei linda.
Bom, abaixo segue detalhes sobre preços.  Se estiver realmente interessada, só responder esse e-mail. Trabalho da seguinte forma: despesas como restaurante, eventos e motel por conta do cliente.
O valor do programa no seu caso é de R$2.000,00.Só finalizamos o acordo quando você depositar a metade do valor na minha conta [dados em anexo] e o restante no final do programa. “
Att.: Anita.

Transferi sem pensar duas vezes o dinheiro em sua conta, e lhe mandei um print da tela do meu telefone para seu e-mail. Fui respondida com ela me pedindo meu número para contato, e cedendo o seu prontamente.
Me chamou no aplicativo.

Anita: Olá, Isabelle. Está podendo falar?

Eu: Sim, Anita. Tudo bem?

Anita: Sim e com você?

Eu: Bem, obrigada.

Anita: Você é muito linda.

Eu: Agradeço a gentileza.

Anita: Eu não elogio atoa, sou sincera.

Eu: Você também é muito linda. Sei que já deve ter lido e ouvido muito isso.

Anita: Elogios nunca são demais. Bom, eu gosto sempre de perguntar algumas coisas aos clientes, não por curiosidade, mas até para saber o que você espera de mim, até onde posso ir…

Eu: Pode perguntar.

Anita: Você já contratou esse tipo de serviço antes?

Eu: Não. Será minha primeira vez, digo, no… Enfim, em contratar esse serviço.

Anita: Serei sua primeira, prometo caprichar kkk Você tem algum fetiche?

Eu: Não, sendo bem honesta, não com fantasias ou coisas do tipo, é mais sobre lugares que tenho vontade de fazer.

Anita: Ok, esse é a título de curiosidade mesmo kkk em quais lugares?

Eu: kkkk Ao ar livre, no elevador, em um barco… Avião.

Anita: Hum… Bom, acho que perguntas já chega, quero te dar alguns avisos. Eu não fumo nada. Em serviço eu não consumo bebida alcoólica.
E a regra básica, não beijo na boca…em hipótese alguma.

Eu: Tudo bem. Não sou fumante e bebo muito pouco, quando estou dirigindo evito.

Anita: Entendi, bom. Nos encontramos daqui a três dias ás 20:30?

Eu: Estarei lá.

Anita: Não se atrase, odeio atrasos.

Eu: Sou pontual

Anita: Gosto assim. Beijos.

Eu: Beijo.

Preciso comprar uma roupa nova, sapatos, lingerie e dar um jeito nesse cabelo. Preciso estar á altura dela. Não posso fazer feio.

Dois dias depois.

Passei o dia inteiro apreensiva, e agora estou aqui sentada na mesa do restaurante, esperando por ela. Decidi que se o papo não for bom, não vou concluir o serviço. Pagarei, é claro. Mas se a conversa não for boa, não será prazeroso, pelo menos não é assim que funciona comigo.
– Isabelle? – Ouvi uma voz gostosa me chamando, quando me virei era ela. Linda em um vestido vermelho que deixa seu corpo bem marcado, salto alto, cabelo enrolado. Linda. Mil vezes mais linda do que nas fotos, e eu achando que ser mais linda do que isso não seria possível. – Isabelle?

– Oi! Sou eu sim. – Me levantei de um jeito todo atrapalhado. – Prazer em conhecer você. – Trocamos um beijo no rosto, fui ate o outro lado da mesa, e puxei a cadeira para ela se sentar.

– Agradeço a gentileza. – Fiquei vermelha, meu rosto queimava. –Amei seu vestido, você realmente é linda.

– Obrigada, sei que seus elogios são sinceros. – Ela soltou uma risada gostosa e só com isso, meu corpo já ficou em alerta. – Gostei da sugestão do restaurante, é lindo aqui, eu amo frutos do mar. Você vem muito aqui?

– Não, nunca vim. É a primeira vez. Alguns colegas de faculdade vieram e me disseram que aqui era ótimo.

– Você faz que curso? Em que faculdade? Se é que posso saber.

– Bom, vamos combinar que você pode me perguntar tudo, se eu não quiser responder eu te digo.

– Ok, antes de você me responder, eu gostaria de lhe entregar o dinheiro.

– Mas já? Deixa para o final…

– Não, eu prefiro assim, me sentirei melhor.

– Ok, se é melhor assim. – Ela pegou o envelope de minhas mãos e discretamente contou o dinheiro. – Obrigada, olha, por ser a sua primeira vez, posso lhe dar uma dica? – Afirmei que sim, com um gesto. – Relaxe, se divirta, já falamos sobre regras e outras coisas, agora é o momento que você deve relaxar e curtir a noite. Respondendo a sua pergunta, eu faço finanças na Universidade Federal de Fortaleza.

– Nossa, que bacana. Finanças é o mesmo que economia? Ou são duas vertentes diferentes?

– Isso, são vertentes diferentes.

– O que faz um profissional da sua área?

– Bom, finanças é o estudo do dinheiro, especialmente como os investidores distribuem seus ativos durante um período prolongado de tempo. Como área de estudo, finanças pode ser dividida em três categorias, finanças publicas, finanças pessoais e finanças corporativas. A indústria financeira é uma peça chave da economia mundial com os investimentos, sendo assim um elemento essencial para a expansão de toda e qualquer indústria. E quando se dá a importância devida a esse setor financeiro, acaba que surge uma série de fatores e empregos disponíveis neste setor.

– Muito legal.  Aqui no Brasil tem campo para esse tipo de trabalho?

– Ter tem, mas é muito delimitado e não é tão bom. Os dez países que são os melhores para esse ramo é Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia, Suécia, Singapura e Malásia.
– Fascinante. – Eu estou em choque com a beleza e inteligência dessa mulher. – Quando se formar, pretende ficar aqui?

– Não, quero ir para a Austrália ou Irlanda.

– Sério? Sempre tive vontade de morar na Austrália, ainda penso em ir um dia.

– Quem sabe seremos vizinhas? – Ela deu uma risada. – Quer dar uma olhada no cardápio?

– Claro, vamos olhar, o cheiro da comida daqui está ótimo.

Continua…

Leia >>

 

A flor – Parte II

 

assinatura-paula-okamura-fw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.