Sábados de saudade

Abri os olhos já com o amado relógio me alertando um atraso de mais ou menos 15 minutos. Ando tão perdida nos dias que não sei mais se é sexta-feira ou sábado , ando tão alienada que poderia hoje até ser domingo. Como sei de minha leve falta de memória e atenção,tenho calendários  e relógios espalhados estrategicamente para que eu me localize no universo. Acordei “passada” de fome então o primeiro calendário que vejo é o da porta da geladeira , infelizmente nem o dia eu sei. Pego meu iogurte natural que me ajuda a aliviar a consciência pesada depois de comer um x- burguer duplo ou uma porção grande de batata frita com queijo.

Me dirijo ao conforto do meu quarto e tento encontrar meu celular no emaranhado de cobertas da minha cama , enfim encontro e percebo que hoje é sábado e meu desespero agora é ter acordado tão cedo . Tenho dificuldades para dormir então depois que desperto nem pagando promessa com vela de 7 dias eu durmo novamente. O que fazer num sábado de manhã? Sentar no sofá e saborear o único alimento saudável da minha alimentação balanceada. Não costumo assistir TV , nada que passa nela me adiciona muita coisa por isso escolho algum filme velho infantil para assistir. Sábados são tão tediosos , famílias em seus rituais sabadásticos , lavando seus carros e fazendo suas faxinas , lembro  que um dia fiz parte desses rituais e achava tão divertido mas aos poucos fui  crescendo e tudo foi ficando repetitivo , eu via tanta coisa que poderíamos fazer e ficávamos ali estagnados naquele velho ritual de famílias normais. Perdida na nostalgia dos sábados em família não percebi que pela janela dava pra ver todos os clientes da cafeteria em frente ao meu prédio. Logo mudei meu pensamento  e me voltei para aquelas pessoas sentadas sozinhas nas mesas tomando seus cafés solitários. Toda vez que as via ali sozinhas me sentia tão triste por elas, o que elas pensavam? Eram elas felizes assim sozinhas?  Acho que me via nelas.

Aquele sentimento de solidão me levou até  você , até seu sorriso e até todos os momentos que passamos juntas. O que você está fazendo nesse momento? Lembrando de mim talvez? Acredito que não. A saudade bate a minha porta a cada segundo , eu tento por várias vezes pensar em algo feliz mas nem dentro nem fora de mim consigo encontrar felicidade. Sábado era dia de preguiça , dia de café na cama e aqueles capuccinos deliciosos de 1 real que a gente comprava. Quanta saudade me dá. Ouvir musica e limpar nossa bagunça semanal , com certeza tinha muita louça e muita roupa pra lavar mas eu adorava fazer tudo que fosse com você. Adorava você brigando comigo por que eu sempre bagunçava tudo , aqueles tantos copos do seu conjunto que eu quebrei por puro desastre. As compras no mercado eram tão divertidas. Sempre muito econômicas mas eu sempre queria meus iogurtes que por acaso não eram naturais. No fim comprávamos pão doce e íamos comendo pra casa. A arrumação das compras era pra ser minha mas nunca fui muito organizada e você sempre tinha que me ajudar. Gostava muito de inventar coisa , até mesmo um guarda roupa improvisado eu fiz , ficou uma beleza não é mesmo? Lembro de você rindo nesse momento e algumas lágrimas escorrem mesmo eu tentando fingir ser forte, sou mesmo chorona não é ? Você sempre dizia isso. Sinto a falta de cada centímetro seu, dos seus olhos que só eram verdes pra mim , das suas roupas e maquiagens jogadas pelo quarto. Sinto falta da nossa casa. Da nossa vida.

Me sinto vazia, meus dias passam rápido. Não penso em nada , é como se as horas só passassem ,os dias fossem correndo e eu estou no meio de tudo estática ,sem cor, sem vida. Alguns segundos , algumas lágrimas e vou voltando a vida real a minha casa bagunçada ao meu coração partido e meu iogurte natural. Como a vida caminha por estradas tão escuras , becos que nos levam a tristeza tão profunda , refazer todos os planos é difícil , sonhar sozinha dói.

 assinatura indianara.fw

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.